Velha Guarda
Onde quer que esteja: Ilumine o nosso samba e a nossa raça com q sua luz

Ala 13
És Uma Santidade

 

Ala 12 
Orgulho do Povo Negro

Ala 11
Lua de Luanda Ilumine o Nosso Terreiro

Alegoria 3
Abre a roda – Deuses e terrenos vieram celebrar com a gente, bate na palma da mão e saudem ela,
é ela quem manda no samba agora: Clementina de Jesus

Ala 10
Rainha Nzinga abençoe a Quelé

Ala 9
É festa de preto, é festa de gente!

Ala 8
Dança do Caxambu

Tripé
O Soar dos Ogãns: É Hora de Vadiar

Ala 7
Vai buscar na mata

Ala 6
Na nossa festa também tem Jovelina: O balanço da sua voz é como as águas de Iemanjá

Ala 5
. Negra Clementina e a alma de melanina de Clara Nunes

Alegoria 2
Kaô Kabecillê – Da Pedreira onde vive com Santa Bárbara lance-nos o fogo da justiça
que ao tocar nossa centelha se transformará na grande labareda! Queremos Igualdade

Ala 4
Na falta de Machado de Assis o meu povo recorrerá a Machado de Xangô

Ala 3 (Bateria)
O Canto dos Escravos

Ala 2 
Justiça Social

Ala 1 (Baianas)
Negros véus, negras vozes, negros tons vão ecoar: Eu existo!

Abre-Alas
A divisão do Orum e do Ayê – Um sopro de ventos distribui o talento aos filhos da Negra Fé

1º Casal de Mestre-Sala e Porta-Bandeira 
O Baile dos renegados

Comissão de Frente
Abrem-se os Caminhos – Laroiê Exu