Imperatriz Paulista 2015 – “ARGENTINA – UMA BUENA VIAGEM”

Ato Inicial – O Tango I

 

Foi um sonho que deu início à esta viagem.

Sonhos de ambição. Foram estes os que os trouxeram até aqui, os exploradores da Espanha.

Eles sonhavam com o que havia além do mar.

Além das sereias e monstros marinhos. Além do desconhecido.

Sonhavam com uma montanha de prata, pronta para ser conquistada.

Uma pilha de riqueza à céu aberto.

 

Tango II

 

Os donos da terra sabiam onde a riqueza se escondia.

Guardiões de pele morena, cara pintada e penas sobre os corpos.

Guaranis, guaykurus, aruaques, araucanos.

Catequizar foi preciso, para conquistá-los.

Desta mistura, surgiu o povo criollo.

E das mãos do povo criollo, o Forte de Santa María.

 

Tango III

 

O Forte, um casarão rosado, foi o ponto de partida.

Mas o orgulho da nação seria forjado com sangue e ideais.

O sangue das guerras com piratas ingleses, tentando roubar as terras criollas para a Inglaterra.

As ideias da Revolução Francesa, reclamando liberdade, igualdade e fraternidade.

A inspiração da Revolução Americana, quando os Estados do Norte quebraram suas correntes inglesas.

Até que, enfim, o Rei de Espanha sucumbiu para Napoleão.

 

Tango IV

 

Os heróis da Nação da Prata surgiram desses fatos.

O General, pai da nação, expoente da independência.

O acadêmico que trouxe a luz da educação.

E o casal carismático que, ao assumir a Casa Rosada, deu voz ao povo

Deu voz às mulheres. Deu voz aos trabalhadores.

Fez nascer, enfim, a Argentina.

 

Tango V

 

Esta é a Argentina que você vê hoje, nas ruas de Buenos Aires.

Esta Argentina que te acorda com uma medialuna e te chama para passear.

Dos mercados populares aos centros da moda.

Do passeio de barco sobre o delta do Tigre.

Dos teatros e da ostentação do reggaeton.

E como não entrar numa milonga para bailar o tango?

 

Tango VI

 

Argentina de aromas e sabores irresistíveis.

Do alfajor que derrete na boca ao prazer de um bom sorvete.

Para quem quer, também tem pizza e pasta à italiana.

Mas nada é mais argentino que um bom churrasco:

Um bife de chorizo acompanhado do mate bem quente

Ou de um bom vinho portenho.

 

Tango VII

 

Argentina dos esportes e dos hinchadas apaixonados.

Do pólo sobre cavalos, herança europeia,

Passando pelo rúgbi, a bola oval onde estamos entre os melhores

Até passar pelos aros do fútbol, la vieja pelota.

De Rosário à Avellaneda, De La Boca até Nuñes,

A explosão de cores num grito de gol acontece em todas as canchas!

 

Ato Final – Tango VIII

 

No fim das contas, não somos tão diferentes.

Até Deus, que é brasileiro, tem um papa que é argentino.

E hoje, irmanados, os motores da América se encontram no corsódromo virtual.

Seja numa murga ou numa escuela de samba, o importante é celebrar.

Celebrar a irmandade e a igualdade entre todos os povos.

Afinal, o Sol de Mayo brilha igual sobre todas as terras.

 

Autor: Rodrigo Raposa

Submit a Comment